Giorgio Viola 

Click here to edit subtitle

Como programar um game

Os games têm se tornado cada vez mais populares, e as opções disponíveis no mercado são inúmeras. De fato, os programadores têm desenvolvido jogos para computadores, smartphones e navegadores a partir de diferentes formas de estruturação e linguagem.


Programar um game requer conhecimento e paciência. É um processo complexo que exige do programador habilidades diversas, sejam elas relacionadas ao design, à comunicação, layout e, inclusive, ao storytelling, que representa a narrativa do game.


Em primeiro lugar, para programar um jogo, é necessário considerar o motor a ser utilizado. Grande parte dos criadores de games optam por usar um motor já pronto. Popularmente conhecidos como “engines”, os motores são dotados de ferramentas de alta qualidade que permitem diversas funcionalidades, como alteração de modelos tridimensionais, mudanças gráficas e roteiro de eventos, além de possibilitarem uma programação personalizada do game. Dentre os motores prontos, destacam-se o Unity, o Unreal Engine 4 e CryEngine. Por sua vez, os motores YoYo Games e Game Maker são recomendados aos programadores iniciantes, que ainda não possuem ampla experiência com o desenvolvimento de jogos.


Após a escolha do motor, caso seja pertinente, é possível optar pelo uso de um framework, software que apresenta um conjunto de ferramentas e interfaces que facilitam a programação e o fluxo do projeto. Além disso, um ambiente de desenvolvimento integrado, conhecido como IDE, também pode ser considerado. O IDE é um compilador capaz de reunir arquivos e aprimorar a construção e o desenvolvimento de projetos mais robustos. Ele é indicado principalmente para a programação de games com sistemas visuais e de áudio.


A etapa seguinte é escolher a linguagem de programação a ser utilizada. Embora existam diferentes opções para jogos, é recomendado que o programador opte por uma linguagem que seja popular e já consolidada no mercado. Neste caso, podem ser citadas as linguagens C++ ou C#, utilizadas pela ampla maioria dos games disponíveis. Por outro lado, alguns games independentes têm boa experiência com Python, JavaScript e Ruby.


Por fim, é preciso criar o jogo. Essa etapa é complexa e envolve planejamento estratégico e o conhecimento de habilidades diversas. Primeiramente, o programador deve esboçar o conteúdo do game incluindo o máximo de características, como ambientação e gênero. Esses aspectos devem ser definidos, de preferência, antes do início da programação, a fim de evitar a reescrita do trabalho.

Com isso, o desenvolvedor deve reunir todos os itens de arte, como texturas, modelos e sons a serem utilizados. Alguns modelos são distribuídos gratuitamente, porém o desenvolvedor pode contratar um designer ou até mesmo criar a sua própria arte.


A etapa seguinte consiste em codificar o game, e exige dois componentes: o script ouvinte ativo, que procura por eventos e responde a elas, e um loop constante, que confere a entrada do usuário e todo o processamento até enviar para a placa de vídeo. A codificação consiste, basicamente, em relatar ao motor o que fazer. Ao término da programação, o usuário deve testar todas as fases do game a fim de garantir sua funcionalidade.